A mais poderosa e benéfica energia é a do amor,

fluindo pelos canais da alegria.

 

VOCÊ ESTÁ NA PÁGINA:

Diversos

 

Se quiser colaborar na construção de um mundo melhor,

conheça um programa (inteiramente gratuito) para ensinar valores

humanos a crianças, tanto na escola, quanto no lar, e divulgue-o:

www.cincominutos.org

 

Nebulosa Noite Estrelada

 

Certo dia um companheiro espírita, falando sobre os esforços que fazia na busca do autoconhecimento, disse que havia chegado a um ponto em que encarar as próprias mazelas lhe dava grande sofrimento;

chegava a sentir dor física, que entendia ser muito importante em seu

 caminho evolutivo.

Lembrei-me então de uma palestra do Lama Padma Santem que aconteceu no Forespe de 2004, na qual ele falou sobre a percepção budista a respeito da vida, da natureza ilimitada à qual pertencemos e a forma como olhamos a vida, aos outros e a nós mesmos.

Foi como se caísse uma ficha, pondo à mostra uma das causas das nossas grandes dificuldades evolutivas, tendo em vista que o movimento espírita, portador de tão elevados conhecimentos, deveria estar vivenciando com muito mais intensidade os valores que prega. Para justificar, afirmamos que somos seres humanos como os demais e, portanto, erramos tanto quanto os demais.

Será?

 

Primeira página

A transição pede mudanças

Uma palavra difícil de dizer

Revendo enfoques

Alteridade

Campanha quinzenal

Dificuldades na casa espírita?

A transição e a mediunidade

AGENDA MÍNIMA para evoluir

Experiências compartilhadas

Como posso ser fraterno

A importância da prece

Exercícios individuais

Exercícios em grupo

Crescimento interior

Viver com ética

Para reflexão

Diversos

Download

Áudio

Refletindo mais um pouco, dois pontos me pareceram bem claros.

O primeiro está no fato de sempre termos colocado em primeiro lugar o estudo da doutrina espírita, em detrimento da sua vivência. Em toda parte nos meios espíritas se ouve: “Precisamos estudar mais a doutrina”. Raramente ouvimos: “Precisamos organizar atividades que nos ajudem em nossas transformações interiores”. 

Ermance Dufaux disse, com muita propriedade: “Espiritismo na cabeça é informação. No coração é transformação”.

Se as lideranças espíritas tivessem desde sempre se ocupado em desenvolver e incentivar atividades voltadas ao crescimento interior com o mesmo empenho com que têm cuidado do estudo doutrinário, será que hoje não haveria muito mais amorosidade e humildade nos nossos meios?

 

O segundo ponto a que me referi está no nosso olhar, na forma como vemos a vida e a evolução; em como entendemos dever conduzir nosso crescimento interior.

OBSERVAÇÃO: não confundir crescimento interior com merecimento. O primeiro trata das transformações interiores, da evolução espiritual. O segundo se refere a ações caritativas, a atividades no centro espírita, na divulgação do espiritismo, etc.

Neste segundo ponto duas coisas parecem claras:

 

a) no afã de buscar autoconhecimento, focamo-nos tanto na identificação das nossas virtudes e mazelas que acabamos por estabelecer parâmetros comparativos para avaliarmos nossa condição evolutiva. Com isso acabamos construindo um olhar crítico e esse olhar não se limita a nós mesmos, porque, mesmo sem perceber, sempre olharemos os outros buscando as comparações de que precisamos para nos orientar. Essa é uma postura que tem gerado uma espécie de competição evolutiva, tanto entre nós mesmos, quanto em relação aos membros de outras crenças.

 

b) como os nossos esforços evolutivos se assentam sobre o alicerce do autoconhecimento, as ações para nossa reforma interior se estabelecem no sentido de combater as mazelas que vamos encontrando, mas isto é o que há de mais difícil, a ponto de gerar sofrimento e até mesmo dor física, conforme tem sido relatado por alguns companheiros.

Não estará errada esta forma? Não estará aí um dos gargalos da nossa evolução espiritual?

Não acha que seria muito mais produtivo se, ao invés de ficarmos revolvendo nosso interior a procura das mazelas, cuidássemos de iluminá-lo, alimentá-lo com a nutrição do amor e da humildade?

Se as nossas ações são reflexos do nosso ambiente íntimo, mudando o ambiente, as ações e atitudes também mudam.

Então, cuidar dos nossos estados de espírito fica bem mais fácil e menos sofrido que escarafunchar mazelas e lutar contra elas.

Certamente podemos e devemos procurar nos autoconhecer, mas sem cobranças e muito menos envaidecimentos, porém com intuito de nos auto-ajudar.

Em 2005 os benfeitores espirituais nos apresentaram a idéia de uma agenda, focada em estados de espírito. Esse trabalho recebeu o título Agenda Mínima para evoluir. Nessa agenda apresentamos como um dos seus diferenciais a priorização da ação evolutiva a partir dos estados de espírito. Isto é muitíssimo mais fácil do que ficar vigiando cada pensamento, palavra, sentimento e ação. Lembrando também que, apenas praticar ações virtuosas é algo superficial, não muda estruturas, mas desenvolver estados de espírito é trabalhar os valores correspondentes, em sua profundidade.

Quem se interessar pelo assunto pode baixar o conteúdo desse opúsculo no link Download.

Tanto esse opúsculo, quanto os outros 4 que são encontrados nesse link, podem ser solicitados gratuitamente por centros espíritas, para serem emprestados aos trabalhadores da casa.

No final desta página, os endereços e telefone para contato.

Fraternalmente,

Saara Nousiainen

 

OBSERVAÇÃO: você pode ler a palestra do lama budista Padma Santem, ao qual nos referimos, quando ele fala sobre as cores da compaixão, no seguinte link: http://www.mundoespiritual.com.br/cores.da.compaixao.htm 

 

 

CONVITE

Com um mínimo de esforço e alguma boa vontade

você poderá contribuir para que o movimento

espírita se torne mais fraterno,

e também colaborar na construção

de um mundo melhor.

 

 

 Solicite sua inclusão na Rede do Afeto-2

 

Razões:

1 – A necessidade de se começar a desenvolver uma cultura de afetividade nos meios espíritas.

2 – A importância das vibrações direcionadas aos companheiros de seara,

ao centro e ao movimento espírita...

3 – A importância de vibrações pelos necessitados (quando alguém, realmente necessitado,

pedir vibrações, seu nome será incluso), pela paz, pela natureza, etc.

Esses Grupos funcionam assim: todos os participantes recebem todas as

mensagens que circulam no seu Grupo e todos podem responder e fazer comentários,

 que todos os demais receberão em suas CPs. eletrônicas.

Semanalmente, ou mais vezes, é enviado para o Grupo Rede do Afeto-2

um pedido de vibrações pelos companheiros dos centros que freqüentam,

por todo o movimento espírita, pelos necessitados, pela paz na Terra, etc..

Junto segue um texto para as vibrações.

Dê você também, com esse mínimo esforço, a sua cota de colaboração por um

movimento espírita mais fraterno e a construção de um mundo melhor.

Solicite sua inclusão na Rede do Afeto-2 pelos e-mails:

caminhos*bemviver.org     caminhos2008*gmail.com

(OBSERVAÇÃO: Substitua os * asteriscos dos e-mails por @ arroba.

Fazemos assim para evitar ação dos spammers)

IMPORTANTE: Ao solicitar inscrição informe que é para a Rede do Afeto-2.

 

 

 

 

Voltar ao topo da página